Pediu um mano

10:21

Juro que não percebo. Nunca tivemos conversas cá em casa sobre isso, nunca especificamos absolutamente o que era um irmão ou irmã, e do nada depois da escola diz "quero um mano".
Perguntei porque, e responde
 "a Maria Francisca vai ter outro e o Manuel vai ter uma mana bebé" .
Ahh bom, já entendi que isto é mais uma daquelas coisas de "ela tem eu também quero"
Lá expliquei que um bebe não é um boneco, estive a mostrar fotos dela em bebe, minhas em gravida, até que ela percebesse. Não tocou mais no assunto, até hoje de manha pedir ao pai um mano para deitar na cama dela e dar a papa na cadeira dela.
Pensei que tivesse morrido ali depois de o pai lhe ter dito que para já ainda é cedo, que temos de organizar muitas coisas para tal acontecer.


Fomos para a escola e ela encontra os amiguinhos e trás a amiga até mim e sai-se com esta "a minha Maria Francisca é minha mana". Menos mal pensei eu, já não me chateia durante uns tempos com este assunto.
Não que não queira ter, mas para já estamos numa situação como muitas outras famílias estão e não quero entrar numa "carência económica" ate porque um bebe no primeiro ano gasta muita coisa, principalmente fraldas!
Não planeei a gravidez da Mariana, aconteceu por descuido meu, e quando soube não estávamos em condições de a ter, mas ainda assim, tivemos, é verdade, mas hoje em dia, queremos dar o melhor possível aos nossos filhos.
Um quarto, muitos brinquedos, decoração amorosa, roupa muito gira, e esquecemo-nos do mais importante, antes não tínhamos tantas mordomias.
Eu só tinha dois pares de sapatos, a roupa sempre fora oferecida nunca comprada, dormia com a minha mãe e não tinha um quarto só para mim, brinquedos só quando era natal, nos aniversários era um bolo e uns salgados e festejava-se com a família, e hoje queremos decoração e coisas em grande.
Antigamente havia famílias num rés do chão, a dormir todos juntos, 5, 6, 7 filhos por vezes e viviam do campo, hoje queixamo-nos demais, nunca nada esta bem para nos, nunca nos contentamos com o que podemos lhes dar, mas acredito que se evitássemos certos comportamentos de gastos que não são necessários, eles agradeciam. Eles crescem, não precisam assim de tantos brinquedos, nem de tanta roupa, nem de uns sapatos xpto porque a coleguinha tem e são bonitos.
Hoje penso que tudo se trata de necessidade e não luxo, quem pode pode é verdade, mas ainda assim há quem possa e não o faz, dão prioridades a outras coisas.
Eu dou prioridade ao amor, ao carinho e dedicação para com a Mariana, isso é que são boas recordações que ira ter mais tarde.
Nao penso para já em ter outro herdeiro, mas se o tiver, ira ser como foi com a irmã, o básico e nada mais, o resto é dispensável.

You Might Also Like

0 comentários